Pesquisar

ALANAC - Notícias do Setor

Setor de higiene pessoal e cosm├ęticos registra a primeira queda em 23 anos

13 de Julho de 2015

O setor de perfumaria, higiene pessoal e cosméticos fechou o primeiro semestre com uma queda de 1% nas vendas, ainda sem descontar a inflação do período, segundo dados preliminares da Abihpec (associação das indústrias do segmento).
 
Essa é a primeira baixa registrada em 23 anos. "Desde 1992, quando o setor conseguiu redução da carga tributária e começou a crescer, isso [retração] nunca havia ocorrido", diz João Carlos Basilio, presidente da entidade.
 
O executivo resume o momento enfrentado pela área como uma "tempestade perfeita", por causa da soma de fatores negativos que levaram à queda de desempenho.
 
Além da retração do poder de compra ocasionada pela instabilidade econômica do país, a crise hídrica também atrapalhou principalmente a venda de itens de higiene.
 
"De forma consciente, as pessoas reduziram o tempo ou a frequência de banho, o que causa impacto no consumo de produtos como xampus, sabonetes e condicionadores", afirma o executivo.
 
Outro fator que se somou à crise foi a decisão do governo, tomada no início deste ano, de passar a cobrar IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) também das distribuidoras de cosméticos.
 
Para o segundo semestre, Basilio afirma acreditar em um resultado um pouco melhor, puxado sobretudo pelas vendas de fim de ano.
 
"O Natal de 2015 deverá ser de presentes mais modestos, o que poderá significar um bom espaço para os produtos do nosso setor, na faixa de gastos de até R$ 100."
 
Fonte:  Folha de São Paulo


Associados