Pesquisar

ALANAC - Notícias do Setor

Solvay retoma venda da Indupa

27 de Fevereiro de 2015

 

O grupo belga Solvay , que controla a Rhodia, informou ontem, junto com a divulgação dos resultados do ano passado, que já retomou o processo de venda de ativos de PVC da Indupa no Brasil. No fim do ano passado, o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) vetou a compra de 7 0,59% da Solvay Indupa pela Braskem, em operação que levaria a petroquímica Braskem a assumir duas fábricas da resina, uma no Estado de São Paulo e outra na Argentina.
 
A negativa do Cade ao negócio surpreendeu tanto a Braskem quanto a Solvay , que informou que retomaria "do zero"o processo de venda de sua participação na Solvay Indupa. No relatório que acompanha o balanço financeiro, o grupo se refere ao relançamento do processo de venda "de seu negócio brasileiro de PVC Indupa", sem mencionar a Argentina.
 
No ano passado, o faturamento do grupo Solvay na América Latina totalizou € 1,1 bilhão, estável em relação a 2013. Especificamente no Brasil, as vendas somaram € 1 bilhão, "mesmo diante de um cenário desafiador para quase todas as atividades industriais e em particular para o setor químico". No país, o grupo investiu R$ 300 milhões em 2014, entre aquisição, aumento de capacidade de produção e melhoria de processos produtivos, entre outros projetos.
 
Globalmente, o faturamento da Solvay no ano passado foi de € 10,213 bilhões, com expansão de 5%. Ao mesmo tempo, o lucro recorrente antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Rebitda) avançou 11%, para € 1,7 83 bilhão. O lucro líquido, por sua vez, recuou 59%, para € 156 milhões. Os resultadas da Indupa foram lançados na conta de operações descontinuadas.
 
No documento, o executivo-chefe do grupo, Jean-Pierre Clamadieu, afirmou que os resultados do grupo no ano passado foram "sólidos", "beneficiando-se da transformação que está realizando, de um portfólio atualizado de produtos e soluções e de seus programas de excelência operacional". "Nós avançamos na reformulação do nosso perfil de negócios para nos tornarmos um provedor de soluções de alta performance", disse. A compra da americana Chemlogics, anunciada no fim de 2013, e a venda dos ativos de PVC estão inseridas nesse processo de reestruturação dos negócios do grupo, que teve início em 2009 após a venda de sua divisão farmacêutica para a americana Abbott.
 
Fonte: Valor Econômico


Associados