Pesquisar

ALANAC - Notícias do Setor

INPI participa do Encontro Nacional da Inovação Tecnológica

19 de Julho de 2016

Para incentivar a inovação é preciso fortalecer o INPI. Com esta mensagem, o presidente do Instituto, Luiz Pimentel, participou do XIV Encontro Nacional da Inovação Tecnológica (Enitec), no dia 18 de julho, no Rio de Janeiro. O evento, realizado pela Sociedade Brasileira Pró-inovação Tecnológica (Protec), teve o objetivo de discutir e propor políticas públicas para a inovação tecnológica no setor produtivo brasileiro. 

No painel sobre as perspectivas e propostas para a retomada da competitividade, Pimentel ressaltou os esforços do INPI para aprimorar sua gestão operacional. Ele apontou desafios que, ao mesmo tempo, precisam ser encarados, entre eles a necessidade de autonomia na gestão de recursos e a contratação de novos examinadores. 

Pimentel destacou ainda que, apesar da produtividade no exame de marcas e patentes no INPI estar aumentando, o número de pedidos é crescente. Paralelamente, o quantitativo de servidores vem caindo. Diante desse cenário que dificulta a redução do backlog (estoque de pedidos pendentes de análise), o INPI estuda junto com o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC) a convocação de examinadores concursados e a realização de novos certames. 

 

Visão da indústria 

Representantes de diferentes entidades da indústria participaram do Enitec. Fernando Figueiredo, da Associação Brasileira da Indústria Química (Abiquim), elogiou os incentivos governamentais para pesquisa, desenvolvimento e inovação na área química. Porém, em sua opinião, é preciso melhorar as condições para investimento na produção industrial. 

Na mesma linha, João Alfredo Delgado, da Associação Brasileira de Máquinas e Equipamentos (Abimaq), listou ações que, na visão da entidade, são necessárias para impulsionar a produção da indústria. Para o fomento à inovação, a Abimaq sugere a reformulação do Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FNDCT) e a melhoria operacional do INPI. 

Reinaldo Guimarães, da Associação Brasileira da Indústria de Química Fina, Biotecnologia e suas Especialidades (Abifina), acrescentou que a indústria brasileira precisa se integrar às cadeias produtivas globais nos elos de maior valor agregado e, para isso, a inovação é fundamental. A propriedade industrial, em seu entendimento, é um dos elementos de inventivo a esse esforço inovador, mas não o único. 

Outro aspecto a ser considerado nas políticas de incentivo à inovação é o envelhecimento da população brasileira e a pressão nos gastos da saúde pública, de acordo com Marcio Bosio, da Associação Brasileira da Indústria de Artigos e Equipamentos Médicos e Odontológicos (Abimo). Essa é uma área de rápida evolução tecnológica e altamente dependente de parcerias entre universidades e empresas, que precisam ser reforçadas no País.

 

Fonte: INPI


Associados