Pesquisar

ALANAC - Notícias do Setor

Empresas receiam aumento de tributação

16 de Maio de 2016

Por: Maria Cristina Frias

Empresários de vários setores já começam a fazer as contas de quanto aumentará a carga tributária no novo governo de Michel Temer.

Com o rombo fiscal do país e a queda de arrecadação, muitos executivos avaliam como grande a chance de aumento da tributação.

Com relação ao Imposto de Renda, há discussões sobre a adoção de recomendações da OCDE, que podem implicar em mudanças na dedutibilidade de despesas e análises de planejamentos tributários, diz Ana Claudia Utumi, do TozziniFreire Advogados.

A tributarista também vê a possibilidade de revisão de alíquotas de IPI e de IOF de produtos, por se tratar de medida que pode ser adotada por decreto, assim como mudanças nos IOFs, que não requerem edição de leis.

"Embora já tenham sido majorados, há sim possibilidade de virem outros aumentos", diz ela.

"Henrique Meirelles, novo ministro da Fazenda, lembrou que a carga tributária é alta, que deve ser reduzida, mas no final das contas, vai precisar fazer ajustes e poderá ser necessário um tributo, como a CPMF, mas de modo temporário", lembra Douglas Mota, do Demarest.

"Além disso, há a mudança de PIS/Cofins, que deverá penalizar mais o setor de serviços", afirma Mota.

A desoneração deverá acabar de cair para os setores que ainda mantiveram a vantagem, o que repõe no cenário os 20% de INSS sobre a folha de pagamento.

Advogados também esperam um aumento nas fiscalizações. "Em 2015, a Receita Federal autuou menos do que havia orçado", afirma Utumi.

 

Fonte: Folha de São Paulo


Associados