Pesquisar

ALANAC - Notícias do Setor

Técnica reduz chance de transmitir malária

09 de Maio de 2016

Por: Ricardo Bonalume Neto

Embora a malária seja transmitida por picadas de mosquitos, a chance de contrair a doença por transfusão de sangue é alta em países africanos. Uma nova técnica conseguiu reduzir o risco de transmissão de malária por transfusão de sangue.

Em Gana, onde foi feita a pesquisa, 50% dos doadores de sangue contêm o plasmódio, parasita causador da doença. O resultado: entre 14% a 28%dos pacientes que receberam transfusões testam positivo para o parasita.

A técnica para reduzir esse risco consiste em tratar o sangue com radiação ultravioleta e vitamina B2. Estudos prévios em laboratório mostraram que ela poderia inativar vários patógenos, como o plasmódio, o vírus HIV ou os vírus das hepatites B e C.

No estudo, publicado na revista médica “The Lancet”, dentre os pacientes que não tinham o plasmódio, parte recebeu sangue tratado, parte recebeu o não tratado. No total, 22% dos que receberam o sangue tradicional testaram positivo para o parasita e só 4% dos que receberam o sangue tratado testaram positivo.

Comentando o estudo na mesma edição da revista médica, Sheila F O’ Brien, dos Serviços de Sangue do Canadá,disse que esse tipo de técnica deixaria ainda mais seguras as transfusões nos países desenvolvidos e pode “revolucionar a segurança na transfusão na África, onde ela é mais necessária”.

 

Fonte: Folha de São Paulo.


Associados