Pesquisar

ALANAC - Notícias do Setor

Surto de H1N1 antecipa distribuiĆ§Ć£o

31 de Março de 2016

Por Stella Fontes

O surto de gripe H1N1, que este ano teve início dois meses antes do período típico, levou o Ministério da Saúde a permitir que os Estados antecipem o cronograma para aplicação da vacina antigripe no país, de acordo com o interesse local, e a iniciar amanhã a distribuição das doses do imunizante.

No mercado privado, o laboratório francês Sanofi Pasteur prevê iniciar a oferta de sua vacina na primeira semana de abril, três semanas antes do calendário seguido no ano passado. A GSK, por sua vez, já disponibilizou o produto no dia 23, dentro da programação original. Em clínicas de imunização paulistanas, o forte aumento na demanda pela vacina, na esteira do surto de gripe H1N1, tem gerado longas filas de espera.

A vacina quadrivalente do Sanofi Pasteur tem duas diferentes formulações, pediátrica e adulta, e pode ser aplicada em adultos e crianças a partir de seis meses de idade. O imunizante da GSK, também quadrivalente, pode ser usado em adultos e crianças a partir de três anos. Na campanha nacional, a vacina protege contra três tipos de cepa (trivalente).

Essa última campanha, que é atendida pela vacina produzida pelo Instituto Butantan a partir de uma transferência de tecnologia do Sanofi, terá início em 30 de abril e se estenderá até 20 de maio. Mas, diante do crescente registro de casos graves da doença, que é um dos tipos da Influenza A, o Ministério da Saúde permitiu que os Estados iniciem mais cedo sua aplicação.

De acordo com a Agência Brasil, nas três primeiras remessas do Ministério da Saúde, que se estendem de amanhã até 15 de abril, os Estados receberão 25,6 milhões de doses, ou o equivalente a 48% do total que será destinado à campanha deste ano. Desse número, 5,7 milhões de doses serão entregues para o Estado de São Paulo, que concentra o maior número de casos.

De acordo com o governo federal, desde o início do ano até 19 de março foram registrados 305 casos da doença no país e 46 mortes, dez a mais do que o registrado em todo o ano passado. Até essa data, onze Estados registraram casos de H1N1.

 

Fonte: Valor Econômico.


Associados