Pesquisar

ALANAC - Notícias do Setor

Derivado de maconha pode tratar epilepsia

15 de Março de 2016

Por: Denise Roland

A GW Pharmaceuticals PLC afirmou que seu remédio derivado de maconha contra epilepsia aguda infantil, o Epidiolex, diminuiu em 39% o número de convulsões que as crianças sofreram durante os testes clínicos de fase III. O número se compara a uma redução de 13% no grupo de controle, durante um período de tratamento de 14 semanas.

O resultado abre caminho para a aprovação do primeiro medicamento desse tipo nos Estados Unidos. A cotação das ações da firma britânica chegou a saltar mais de 130% com a notícia.

A GW Pharma afirmou que pretende usar os dados para pedir a aprovação do medicamento à FDA, agência que regula alimentos e remédios nos EUA. A FDA já concedeu certas designações de prioridade ao medicamento para acelerar sua aprovação.

O princípio ativo do Epidiolex é uma substância conhecida como canabidiol, que a farmacêutica extrai de plantas de maconha cultivadas numa fazenda aprovada pelo governo numa localidade não revelada do sul da Inglaterra. Se aprovado, o Epidiolex será o primeiro remédio contendo canabidiol a receber o endosso da FDA. A agência já aprovou anteriormente duas drogas contendo tetrahidrocanabidinol, ou THC, outro derivado da maconha.

A droga será também o primeiro tratamento contra a síndrome de Dravet, uma forma rara de epilepsia aguda infantil. A doença é geralmente diagnosticada no primeiro ano de vida e dificulta o desenvolvimento da maioria das crianças afetadas. Na maior parte dos casos, as convulsões não respondem bem aos remédios existentes.

 

Fonte: Valor Econômico


Associados