Pesquisar

ALANAC - Notícias do Setor

Disputa pela PĂ­lula

30 de Outubro de 2014

A MSD mira a liderança no mercado de contraceptivos até 2018 e espera avançar no setor público também.
 
"Nossa atuação está em dois pilares: no mercado privado e no público, com um trabalho voltado às sociedades médicas para que se incorporem mais opções de contraceptivos no SUS", diz Fabiola Fonseca, executiva responsável pela área.
 
Fonseca lembra a necessidade de aperfeiçoar o acesso a contraceptivos para usuárias de drogas e adolescentes. "De 7,3 milhões de novas mães adolescentes, 2 milhões têm menos de 15 anos, segundo as Nações Unidas."
 
O Brasil é o segundo maior mercado de contracepção do mundo, atrás dos Estados Unidos. O segmento é o segundo em vendas no país, depois do de analgésicos. Fatura cerca de R$ 2,3 bilhões.
 
O último anticoncepcional lançado pela MSD há dois meses foi o Stezza, com hormônios similares aos femininos, segundo a empresa, que produz também o anel contraceptivo, o implante e a pílula só com progesterona.
 
Fonte: Folha de São Paulo


Associados