Pesquisar

ALANAC - Notícias do Setor

Crescimento Moderado

06 de Julho de 2015

Por Clayton Netz 
 
Acostumada a crescer a taxas médias acima de dois dígitos nos últimos anos, a indústria farmacêutica reduziu suas expectativas para 2015. A estimativa de Nelson Mussolini. Presidente executivo do Sindusfarma, entidade que reúne os laboratórios, é de que o faturamento cresça ao redor de 8%, contra os 13% verificados em 2014, quando o volume de vendas chegou a R$ 60 bilhões. 
 
Segundo Mussolini, o receio do desemprego está afetando a massa de consumidores das classes C e D que afluíram ao mercado, na última década. "Eles estão privilegiando a compra de medicamentos básicos, em detrimento dos voltados para estilo de vida, como remédios para emagrecimento e rejuvenescimento, entre outros", afirma. Embora não tenham promovido demissões em massa, as empresas estão segurando as reposições de vagas abertas.
 
Esse quadro paralisou, diz o executivo, o processo de fusões e aquisições da indústria. "Os interessados em adquirir laboratórios brasileiros estão mais cautelosos", afirma. "Não há negócios em andamento hoje."
 
Fonte:  Isto É


Associados