Pesquisar

ALANAC - Notícias ALANAC

Carne bovina ganha espa├žo na UE; frango perde

06 de Março de 2015

As carnes brasileiras bovina e de frango tomam sentido contrário na balança das importações da União Europeia. A suína não aparece nas estatísticas do bloco europeu.
 
Apesar de o Brasil ser o principal fornecedor mundial em ambas, a concorrência tem sido mais aguerrida para a carne de frango, um produto de ciclo menor e com condições de desenvolvimento em todas as regiões.
 
Já na carne bovina, cujo rebanho vem caindo em boa parte dos grandes produtores, os brasileiros têm uma boa vantagem competitiva.
 
Os europeus importaram 496,6 mil toneladas de carne de frango brasileiro no ano passado, segundo dados da União Europeia. Esse volume indicou que 59,6% de toda a carne de frango comprada pelo bloco saiu do Brasil.
 
É um percentual elevado, mas que já esteve bem maior: 76,3% em 2008. Naquele ano, os europeus compraram 679 mil toneladas de carne de frango do Brasil.
 
Já as compras de carne bovina seguem outra direção. No ano passado, os europeus compraram 144 mil toneladas do produto brasileiro, 43,4% de toda a carne bovina que veio do exterior para o bloco dos 28 países.
 
Os europeus compraram um total de 332 mil toneladas no período, e o Brasil esteve à frente de Uruguai e da Argentina, que representaram 15% e 13%, respectivamente, desse volume importado.
 
Nos três casos houve recuo nas compras dos europeus em 2014, ante 2013. No caso do Brasil, a queda foi de 1%, aponta a Comissão Europeia.
 
Já Austrália e Estados Unidos, que foram o quarto e o quinto maiores fornecedores de carne bovina para a União Europeia, elevaram as vendas para o bloco em 2014.
 
Um dos motivos da perda de volume de carne de frango do Brasil para a Europa é o regime de cotas. A exportação fora desse volume têm tributação pesada.
 
A Tailândia ganha importância no mercado europeu. As exportações do país somaram 249 mil toneladas de carne de frango no ano passado, 30% do volume importado pelo bloco. Em 2010, os tailandeses exportavam 150 mil toneladas, apenas 18% do que os europeus importavam.
 
O Brasil perde espaço na Europa, mas mantém a liderança mundial nas exportações de carne de frango, atingindo 170 países.
 
 
Fonte: Folha de São Paulo


Associados